Bate-Papo #10 – Facebook Top Games – Google Plus Comunidades – XBOX 360 – BIG Picture Steam


 

Facebook lista Top 25 jogos de 2012 da rede social
Google+ agora tem comunidades, grupos de assuntos específicos como um fórum
X-BOX 360 lidera vendas pelo 23º mês consecutivo nos EUA

Serviço gratuito verifica se sua senha do LinkedIn vazou


O site LeakedIn testa sua senha contra a lista de combinações divulgadas no site russo e verifica se ela também foi comprometida

Desenvolvedores de Nova Iorque criaram uma aplicação para ajudar as pessoas a verificarem se sua senha do LinkedIn estava entre as mais de 6.5 milhões de combinações que foram expostas e publicadas em um fórum russo.

O vazamento, revelado esta quarta-feira (6), é relevante por conta da quantidade de informações pessoais detalhadas armazenadas no serviço, permitindo que usuários mal intencionados possam espalhar ataques phishing em executivos de alto nível ou espalhar links maliciosos. O LinkedIn está avisando alguns usuários para que redefinam suas senhas, contudo há outra maneira de saber se sua conta foi comprometida. 

O LeakedIn converte a senha da pessoa em texto para sua representação criptográfica correspondente, utilizando um algoritimo SHA-1. Essa conversão é feita no próprio navegador a partir de Java Script, e não transmite a senha para nenhum outro lugar, escreveu Chris Shiflet, um dos desenvolvedores do aplicativo em seu blog.

Depois disso, o LeakedIn verifica se a combinação está presente entre os hashes (sequências alfanuméricas criptografadas) que vazaram. Nem todos os dados criptografados na lista já foram convertidos para as senhas originais, porém a equipe está trabalhando nisso. “Descobri que minha senha não era apenas a única entre as 6.5 milhões que foram vazadas, mas também estava entre aquelas que foram crackeadas. Eu era uma vítima”.

As combinações criptografadas podem ser convertidas para texto ao utilizar poderosos processadores gráficos e ferramentas gratuitas para crackear senhas (como um recurso chamado ‘John the Ripper’, ou John o Estripador, em tradução livre), que podem ser utilizados em PC comum. O tempo necessário para completar o processo depende da complexidade da senha. Outro método é um ataque com “força bruta”, no qual os programas tentam rapidamente diversas combinações de senha, esperando conseguir uma combinação correta. Essa tática consome mais tempo, mas é voltada a senhas maiores e mais complexas.

A empresa de segurança Sophos determinou que haviam 5.8 milhões de hashes únicos entre as 6.5 milhões de senhas, depois que as duplicatas foram eliminadas. Entre essas, cerca de 60% foram codificadas utilizando força bruta, escrever Chester Wisniewski, assessor de segurança da companhia.

Fonte: IDGNOW

Google e Facebook podem desaparecer em 5 anos, segundo analista


Especialista em tecnologia faz previsões surpreendentes sobre o futuro das duas empresas e diz que se elas não se adaptarem ao mercado móvel, enfrentarão muitas dificuldades.

 

 
(Fonte da imagem: Reprodução/Forbes

O especialista em tecnologia Eric Jackson analisou a situação atual de duas das maiores empresas de tecnologia atuais: Google e Facebook. Segundo o analista, o futuro das duas companhias pode ser sombrio e elas podem até mesmo desaparecer em cinco anos.

De acordo com Jackson, mesmo que as duas sejam enormes e possuam muitos recursos, elas podem acabar sendo vítimas das mudanças de mercado. Isso por que o mundo está em constante evolução, e as pessoas estão cada vez mais migrando para os dispositivos móveis. As empresas de internet que surgiram na segunda década do século 21 são muito mais focadas no negócio móvel. O Instagram é um exemplo disso.

Jackson vai mais fundo e diz que os aplicativos mobile do Google e, principalmente, do Facebook, são muito fracos. O Facebook tende a fragmentar as ferramentas, desenvolvendo programas separados para messenger, fotos e outros, dando a impressão de que ainda não sabe que caminho percorrer no mundo dos dispositivos móveis.

O mercado está cada vez mais dinâmico
O que podemos dizer com certeza é que o mercado será muito mais dinâmico nos próximos cinco a oito anos, e mesmo que Google e Facebook tenham sólidos planos de crescimento e muito dinheiro em caixa, é difícil prever o que vai acontecer se as empresas não conseguirem se adaptar às novas tendências.

Uma coisa é certa: se por um lado cinco anos é muito tempo no mundo da tecnologia, por outro o tamanho não significa nada perto das mudanças do mercado e a Kodak está aí para provar isso.

Fonte: Forbes
Via Tecmundo

O Twitter está vendendo suas informações


Twitter SpyEmpresas de análise irão revender dados e tweets dos usuários para companhias de marketing; e isso não é ilegal

REUTERS – Os usuários do Twitter estão prestes a contribuir enormemente para as pesquisas de marketing em todo o mundo. Isso porque o serviço de microblogs vendeu o acesso ao seu banco de dados para duas empresas de pesquisa que irão revender as informações dos usuários (de perfil, de localização, tweets, tudo que tiver sido postado como público na rede) para clientes que estejam dispostos a pagar pela exploração desses dados.

As empresas Boulder Gnip Inc, sediada no Colorado, e a DataSift, com base no Reino Unido e em São Francisco, foram licenciadas pelo Twitter para analisar tweets arquivados e informações básicas sobre os usuários, como dados de localização. A DataSift anunciou esta semana que irá disponibilizar para empresas informações do Twitter em pacotes que irão abranger os dois últimos anos de atividade na rede, enquanto a Boulder só poderá divulgar dados de até 30 dias atrás.

Mais de 700 empresas estão em uma lista de espera para experimentar o que a companhia tem a oferecer, disse o CEO da DataSift Rob Bailey em entrevista à Reuters. Aqueles que comprarem as informações poderão ver tweets sobre tópicos específicos e até isolar mensagens baseando-se na localização do usuário. Bailey, que vive em São Francisco, disse que o efeito é algo como ter em mãos grupos reflexivos esporádicos sobre marcas e produtos.

Por exemplo, a Coca-Cola poderia olhar o que as pessoas em Massachusetts estão dizendo sobre a Coca Zero, ou a Starbucks poderia descobrir o que as pessoas estão dizendo sobre suas bebidas de caramelo. As empresas também podem ver como elas responderam a reclamações de consumidores.

A Boulder, que oferece um pacote de dados de curto-prazo, afirmou que as informações coletadas — que envolvem consultas em tempo real — também podem ser usadas durante desastres naturais para ajudar equipes de resgate, ou podem monitorar doenças como um surto de gripo, ou analisar o comportamento do mercado de ações.

“Coletar o que alguém publicou há um ano ou mais é algo que muda o jogo”, diz Paul Stephens, diretor de política e advocacia da Privacy Rights Clearinghouse em São Diego. Conforme detalhes sobre o tipo de informação que serão explorados aparecem, ele e outros especialistas em direitos de privacidade se mostram preocupados com as implicações de informações de usuários sendo divulgadas para empresas que estão esperando para passar um pente fino nelas.

“Conforme vemos o Twitter crescer e as mídias sociais se desenvolverem, isso começa a se tornar uma questão cada vez maior”, disse Graham Cluley, consultor sênior de empresa britânica de segurança Sophos. “Empresas online sabem em quais sites nós clicamos, qual propagandas vemos, o que compramos… cada vez mais, eles estão aprendendo o que nós estamos pensando. E esse é um pensamento bem assombroso”.

O Twitter optou por não comentar a venda e repassou as questões para a DataSift. Em 2010, o Twitter concordou em compartilhar todos seus tweets com a Biblioteca do Congresso Americano. Detalhes de como essas informações ficarão disponíveis para o público ainda estão em desenvolvimento, mas há algumas restrições estabelecidas, incluindo um atraso de seis meses e a proibição contra o uso dos dados para propósitos comerciais.

Tweets privados ou apagados não poderão ser acessados, disse Bailey. As empresas querem agregar dados, não tentar descobrir quem disse o que para quem. “A única informação que disponibilizamos é aquela que é pública”, acrescentou. “Não queremos vender dados para anúncios direcionados. Nós nem sabemos como isso iria funcionar”.

Um especialista em análises digitais disse que o maior impacto será para os comerciantes. “O único risco de privacidade é os comerciantes serem capaz de fazer mais do que análise de mercado com os dados, mais rápido”, disse Thomas Bosilevac, diretor de análise para o empresa de marketing digital Digitaria.

Isso não significa que todos estão felizes com a situação. “É frustrante que agora comerciantes têm um melhor acesso aos meus tweets antigos do que eu”, disse Rebecca Jeschke, analista de direitos na internet e porta-voz da Electronic Frontier Foundation. No entanto, isso é perfeitamente legal, mesmo que assustador”. Se seus tweets são públicos, isso permite todos os tipos de pessoas fazerem toda a sorte de coisas que quiserem com eles”.

Para as pessoas preocupadas com que algo que disseram no passado irá voltar para as assombrar, não é tarde demais para voltar atrás de apagar tweets antigos. A DataSift é requerida para fazer atualizações regulares de seus bancos de dados para remover mensagens que tenham sido deletadas.

/ Mitch Lipka (REUTERS)
Via Blog do Estadão 

Extensão #Facebook Photo Zoom para Google #Chrome vale a pena eu uso e recomendo


FB Photo Zoom

FB Photo Zoom

Está extensão de Chrome para Facebook é muito legal não consigo mais ficar sem basta passar o mouse sobre a foto que quer ampliar e pronto.

Lembrando que está extensão é para o Google Chrome

segue link de download da extensão
https://chrome.google.com/webstore/detail/elioihkkcdgakfbahdoddophfngopipi

 

Espero que gostem

Twitter finalmente em #Português o/


image

Ao acessar o Twitter verifiquei que adicionaram nosso idioma, Twitter finalmente olhou para os mortais ^^
Já estava enjoando do Twitter em Espanhol e Inglês

Para deixar seu twitter em português clique no link abaixo e faça o login no TWITTER e defina seu IDIOMA

https://twitter.com/settings/account

twitter_portugues

Facebook passa Orkut no Brasil em número de usuários


Orkut x FacebookConfirmando a tendência de crescimento no Brasil, o Facebook pela primeira vez passa o Orkut em usuários únicos no País. Segundo o último relatório do Ibope, a rede criada por Mark Zuckerberg teve 30,9 milhões de usuários únicos em agosto, contra 29 milhões do Orkut. Esses dados levam em conta acesso residencial e em local de trabalho.

O Twitter foi outro site que manteve tendência de crescimento, registrando 14,2 milhões de usuários em agosto. Nesse mês, em média, cada usuário brasileiro de redes sociais conectou-se a esses sites por um tempo de 7 horas e 14 minutos.

Segundo o Ibope, o número total usuários ativos de internet no Brasil é de 45,4 milhões, quando considerados apenas acesso residencial e no local de trabalho. Essa marca representa um aumento de 3,8 milhões em relação a agosto do ano passado.

Quando são considerados também acesso à rede em escolas, lan houses, locais públicos e outros terminais, o número total de pessoas com acesso à internet no Brasil é de 77,8 milhões, um crescimento de 5,5% em relação ao segundo semestre de 2010.